Páginas

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Quem somos nós?

O que buscamos? O que queremos de verdade? Quem sou, quem fui, quem serei... Eis a questão!

Nascemos, e aí somos recebidos por um monte de gente boba babando por que somos crianças abençoadas e cheias de brilho... Há quem diga que uma criança na família pode fazer irmãos que não se falam há anos voltarem a se falar, e que também pode ser responsável pela união de pai e mãe... No meu caso, sim. Desde que minha filha nasceu tenho sentido minha família cada vez mais unida! Mas existem crianças que nascem no meio de um caos... Famílias que vemos na TV, mas que não imaginamos como seria viver em meio, por que é tão diferente de tudo o que aprendemos e seguimos, assim como nossos pais nos ensinaram!
Afinal, por que somos tão diferentes um do outro? E você já parou pra pensar em tudo o que viveu até agora? Se não parou, pare pelo menos 15 minutos de seu dia e faça de sua cabeça uma tela, rebubine, volte o filme, lembre-se do que um dia foi eterno, do doce da sua vó, daquele brinquedo que você amava de paixão mas que era a coisa mais simples do mundo, da vizinha amiga, que você não vê a anos, da pré-escola, das tias do colégio, do sorvete que vendia na praça, de quando você ia ao zoo com seus pais e tomava suquinho que vinha em embalagem com formatos diferentes, do seu primeiro amor, de quando você chorou por se sentir sozinho, das suas conquistas adolescentes, da sua época de rockeira revoltada (quem é que não foi?) Apenas deixe-se levar pelo tempo, e quando voltar perceba o quanto você cresceu, note as mudanças, veja as coisas boas que você conseguiu, e lembre-se das coisas ruins como barreiras que você ultrapassou.
Estou aqui, fazendo exatamente isso, relembrando, revivendo...


                                              A rodinha da escola, as antigas amiguinhas, e minha cara de terrível, rs. (Loren de rosa,xx.)



Trotes da oitava série, dia de ir bregaaa!




                                                                 Fala sério né? Colegial...






     

Arraiá da "Clô" (vaquinha de plástico) que era homenageada todos os anos em junho com uma festa junina!



 
Ano em que trabalhei como professora na escola de dança Andréia Sartori, e essa foto, no Dança Ribeirão.




Eu, com minha mãe, no clube de campo em Araçoiaba da Serra, lugar mágico.



 
Começo de namoro, quando encontrei o amor da minha vida.



Balada em Batatais, com nosso grandes amigos!




                                                               Uma fase que durou pouco, mas que foi intensamente vivida.





                                    O melhor abraço que ganhei em toda minha vida, e que foi fotografado, pra ficar no coração.



                                                   Depois disso, nunca mais me permiti sentir sozinha... Chegou o que o destino preparava!



                                            Meu anjo, minha vida, um sonho realizado, uma página escrita por Deus, o meu melhor é você, Alice.



Minha família, amores da minha vida!



Se essas vidas são as que recebemos por merecimento ao que fizemos na vida anterior, tenho certeza de que fui plena, por que sou muito feliz e eternamente grata por tudo o que me aconteceu até hoje, pelas coisas que vivi e aprendi! Nós escolhemos nossos caminhos, nós mesmos decidimos como serão as coisas, por isso, enfrente tudo o que tiver pela frente, e lembre-se de que esse filme está apenas começando... "Porque o tempo, o tempo não pára..."

Um comentário:

  1. Gracinha o seu blog! Gostei mesmo.
    E seu bebê é lindo!
    Bjinhos.

    ResponderExcluir